Colagem-Ponto-3-Firmamento-d.jpg
Plano de Conservação e Manutenção da antiga Santa Casa de Misericórdia de Uberaba
Amandha Santana Melo

Amandha Santana Melo

Orientação:

Adriano Tomitão Canas

2019/2

tcc

Este trabalho tem como objeto de estudo a Santa Casa de Misericórdia de Uberaba, tombada em 1999 pelo Conphau, enquanto agente urbanizador da cidade e Patrimônio Cultural da Saúde. Hoje, o edifício constitui um anexo do Hospital de Clínicas da UFTM, é utilizado predominantemente pelo Departamento de Doenças Infecto Parasitárias da Universidade e não oferece mais serviços à população, que consequentemente deixou de reconhecer sua relevância.
A iniciativa de fundar a Santa Casa de Misericórdia de Uberaba partiu do Frei Eugênio e do médico Henrique Raimundo Genettes. Fundada em 1858, mas inaugurada em 1898, seguia rigidamente as condutas de salubridade da época. Suas atividades destacaram-se pela qualidade e pioneirismo na região, atraindo um elevado contingente de pessoas. Infelizmente, a falta de manutenções fez com que sua infraestrutura rapidamente se tornasse obsoleta. Devido a isso, em 1919 decide-se substitui-lo por uma nova construção, inaugurada em 1935 no mesmo local, com parte dos recursos doados pelo médico Dr. José de Oliveira Ferreira. O novo prédio possui dois pavimentos, se encaixa na tipologia eclética com traços classicizantes e apresenta simetria rigorosa (LOPES, 2018).
Apesar das boas instalações, a Santa Casa sofreu com a falta do repasse de recursos pela prefeitura e teve suas atividades interrompidas em 1956. Em 1957, um acordo entre a prefeitura e a diretoria do hospital deu fim à crise, promoveu a arrecadação de recursos e a doação do edifício para a Faculdade de Medicina.
Contudo, com o passar dos anos e a intensificação das atividades, as instalações tornaram-se novamente defasadas. As reformas iniciadas em 1967, com recursos do Governo Federal, colaboraram para torna-la “um dos maiores e mais importantes centros de saúde da região” (LOPES, 2018) fato que refletia o intenso processo de urbanização da cidade. Em 1982, foi construído o Hospital Escola no terreno aos fundos do edifício. Hoje, o complexo conhecido como “Hospital de Clínicas da UFTM” engloba ambos os prédios. A Santa Casa deixou de prestar atendimentos em 1982, e passou a ser utilizada como centro de pesquisa de pós-graduação. Ali também funcionam a redação de uma Revista Científica, o laboratório de exames de imagem e o necrotério do HC.
O trabalho chama atenção para um elemento de memória e identidade fundamental para a cidade de Uberaba e de grande importância para as discussões acerca do Patrimônio Cultural da saúde. Além disso, a produção científica realizada em suas dependências, apesar de prejudicada pelas condições de infraestrutura, colabora para a cura de doenças e consequente melhoria da qualidade de vida da população. Com base nisso, o objetivo é formular um projeto de restauração, conservação e gestão, através de mecanismos que promovam a reinserção do edifício no cotidiano da população e de intervenções que proporcionem simultaneamente a oferta de serviços relacionados à assistência médica e à preservação da Santa Casa de Misericórdia. A proposta de um Centro de Pesquisas de Saúde revela o desejo de valorizar a memória do local e o trabalho ali desenvolvido, a fim de trazer de volta o destaque que o edifício merece.

Add a Title
Add a Title
Add a Title
Add a Title
Add a Title
Add a Title

Amandha Santana Melo

logo_faued_sem_fundo.png
logo-ufu.png